sexta-feira, 10 de outubro de 2014

EM 2013 UM MONSTRO PREDADOR EMPRENHOU AS URNAS DE 2014


Há algo incongruente, paradoxal e fora do contexto conspurcando os votos destas eleições.

Refiro-me às manifestações de junho de 2013. Começou com o movimento MPL, em Sampa, contra o aumento de 20 centavos na passagem do ônibus. A partir daí se espalhou por todo o Brasil. Surgiram várias novas reivindicações  e as principais, mais saúde e educação, foram atendidas pela presidente Dilma. Mais saúde, com o programa Mais Médicos. Mais educação: a presidenta Dilma Rousseff sancionou sem vetos  a lei que destina 75% dos royalties do petróleo para a educação e 25% para a saúde. Além disso, o texto prevê que 50% de todos os recursos do Fundo Social do pré-sal sejam destinados para os dois setores, Saúde e e Educação.  Havia também manifestações contra a corrupção, e hoje são as que mais chamam a atenção.

Em Brasília,  um partidário de Marina Silva chegou a tentar incendiar o Itamaraty. Houve muita violência, depredação do patrimônio público e privado, saques em lojas, feridos e mortes. Faixas e mais faixas contra a corrupção.

Mas o que se viu nas eleições de 2014 foram corruptos e mais corruptos sendo eleitos e  reeleitos. Serra, por exemplo, envolvido com a corrupção do Metrô, com o trensalão, com o desvio de de recursos das privatizações (documentado no livro A Privataria Tucana), com depoimento na PF marcado para 7/10, foi eleito.

Maluf, mesmo cassado porque comprovadamente roubou os cofres públicos de São Paulo, enviando o dinheiro para vários paraísos ficais, foi reeleito mas não pode assumir.

O Arruda, no DF, que  aparece em vídeos recebendo propinas, estava na frente nas pesquisas eleitorais e só não foi eleito porque, sabendo que perderia no STF, renunciou  à candidatura.

Em Rondônia  o candidato  Expedito JR., do PSDB, foi eleito Senador em 2006 mas teve seu mandato cassado três anos depois sob as acusações de compra de votos e abuso de poder econômico. Tentou em 2010 a candidatura para o governo de Rondônia, mas foi impedido pela Lei da Ficha Limpa: agora vai disputar  o 2º turno para governador de Rondônia.

Geraldo Alckmin é um fenômeno à parte. Envolvido com a corrupção da  Alstom, cartel do metrô e da CPTM, com acusação comprovada de recebimento de propinas por secretário de confiança e ao PSDB. Alckmin comprovadamente não investiu para criar reservatórios de água suficientes para abastecer os paulistas e por isso já estamos sem água. Vai ser  o” apagão da  água”. Alckmin também não investiu em segurança e a violência em SP aumenta a cada dia. No entanto, foi reeleito. Alckmin aumentou os pedágios, que já são os mais caros do Brasil, em 6,97%. Por causa do arredondamento de tarifas previsto em contratos, o reajuste deste ano chega, na prática, a até 8,57%, dependendo da praça de pedágio. Ninguém se manifestou, todo mundo paga calado.  E faz manifestação por 20 centavos  nos ônibus?  Então por que fazer manifestações de combate a corrupção, se elegeram e reelegeram os mais corruptos do Brasil?

Jussara  Seixas [coeditora do Terra Brasilis - São Paulo] 

3 comentários:

Sergipe Mandacaru disse...

As manifestações eram na realidade contra o PT e de carona qualquer partido de esquerda. Faltou falar no texto que os partidos de esquerdas foram impedidos de fazerem manifestações. Muitos tiveram as bandeiras rasgadas e impedidos de se manifestarem!!!

Jussara Seixas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jussara Seixas disse...

Você tem razão, os partidos, diga-se PT e PC do B não participaram. O que foi bom. Se não todas as arruaças, as depredações, as mortes, com certeza seriam atribuidas ao PT. Você tem alguma dúvida? Eu tenho certeza.
Um abração

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...