domingo, 2 de setembro de 2012

Lula manda recado para Eduardo Campos: "[...] é importante que eles saibam que não estariam no governo se não fôssemos nós”

Eduardo silencia sobre a ''traição'' 

Durante atos de campanha de aliados, governador evita responder críticas feitas pelo ex-presidente Lula aos socialistas

O governador Eduardo Campos (PSB) silenciou sobre as declarações feitas na sexta-feira passada pelo ex-presidente Lula (PT) durante o comício em apoio à candidatura de Patrus Ananias (PT) à prefeitura de Belo Horizonte (MG). Na ocasião, o petista fez cobranças indiretas ao PSB, partido que afastou-se do PT na capital mineira e em cidades como Recife e Fortaleza. No primeiro discurso público desta campanha, Lula disse que “aqueles que o PT ajudou a chegar ao poder não querem mais ficar com o PT". “O PT não vai ficar chorando, é importante que eles saibam que não estariam no governo se não fôssemos nós”, cobrou.

Eduardo, no entanto, afirmou que não iria comentar o discurso do ex-presidente. Questionado ainda sobre a avaliação que tem sido feita por caciques petistas de que ele “traiu” Lula ao lançar a candidatura de Geraldo Julio (PSB) no Recife, o socialista manteve o silêncio. “Eu já falei o que tinha para falar sobre isso. Tenho nada para falar mais não”, esquivou-se. O governador ainda não se manifestou publicamente sobre as acusações do PT. A tarefa de rebater as provocações está sendo delegada a “porta-vozes” do partido, como o líder do governo na Assembleia Legislativa, Waldemar Borges (PSB).

O governador também evitou repercutir o pedido de impugnação movido pelos petistas contra a candidatura de Geraldo Julio. O PT alega que o socialista está fazendo uma campanha “casada” com o governo do Estado. “Isso é para os advogados. Nosso debate é sobre os pontos que interessam ao povo. Os advogados vão tratar disso nos autos”, resumiu.

Embora ainda não tenha protagonizado nenhum ato público ao lado do seu candidato no Recife, o governador dedicou o dia de ontem para reforçar os palanques majoritários do PSB em outras cidades da Região Metropolitana. Ele quebrou o critério- adotado na campanha de 2008 – de não participar de campanha em municípios onde os partidos que pertencem à base do governo estadual estejam divididos. Em Igarassu, Eduardo comandou uma carreata ao lado de Severino Ninho (PSB) cujo principal rival na disputa é o candidato do PT, Gesimário Baracho (PT). Em Paulista, onde também há uma “queda de braço” entre petistas e socialistas, ele fez uma caminhada de três quilômetros, seguida de um mini-comício, ao lado do candidato do PSB, Júnior Matuto. Hoje, Eduardo participa de almoço com artistas que apoiam Geraldo Julio, no ateliê de Ferreira. O evento também terá a presença do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB).

2 comentários:

Giovani de Morais e Silva disse...

Cumpadi, Lula não pode falar muito sobre traição... João da Costa foi vítima dele! Lula traiu João da Costa para eleger Haddad com o apoio de Dudu...

http://www.ocachete.org/2012/09/a-politica-e-traicao-de-cada-dia.html

Bom domingo!

Diógenes Afonso disse...

Cumpadi,

Nesse imbroglio todo, o débito deve ir para João Paulo, que impôs João da Costa. João da Costa foi incompetente para abrir canais de diálogo com a sociedade civil organizada, com a Câmara... Enfim... Há uma informação que ninguém ousa divulgar, pois eu vou dizer agora: quem mandou e ainda manda na Prefeitura chama-se Marília Bezerra, esposa de João da Costa. Tudo tem que passar por ela... Daí a rusga entre JC e JP. O primeiro erro do PT-PE foi deixar que isso seguisse à revelia do partido e tomar a decisão que foi tomada com essas prévisa que só trouxeram desgaste. Lula tomou a posição para afastar JC do processo por conta disso. Não há traição, mas tomada de rumo, embora com desgastes inimagináveis.

Bom domingo. Santinha na cabeça, hoje!

abração

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...